Você está em AD-UNIFEI História

Pesquisar






História

Carteira de Associado do ex-aluno Engo. João Eduardo Moritz (turma de 1929), datada de 17/12/1929, assinada pelo então Presidente da Associação, Engo.  José Rodrigues Seabra (turma de 1917)

Pesquisas feitas, com o objetivo de encontrar a data de fundação da Associação dos Diplomados da UNIFEI, foram prejudicadas pela perda total dos arquivos do Diretório Acadêmico no período pós Revolução de 1964. Esses arquivos foram parcialmente reconstituídos com a colaboração de antigos Presidentes do DA e ex-alunos. Entretanto, é de se supor que os mais preciosos documentos, pela sua antigüidade, se tornaram irrecuperáveis com o falecimento dos ex-alunos de turmas mais antigas. Assim, até bem pouco tempo, a mais remota referência de que se dispunha sobre a Associação era a encontrada na Revista ELETROTÉCNICA de abril de 1938 (pág.157), editada pelo Diretório Acadêmico do Instituto Eletrotécnico de Itajubá - DAIEI, que conclamava os ex-alunos a comparecerem às comemorações do Julbileu de Prata do IEI no dia 23 de novembro daquele ano: “A Associação dos Engenheiros pelo Instituto Eletrotécnico de Itajubá conta com o comparecimento de todos os engenheiros no dia do aniversário da fundação da escola e conta com a sua cooperação para a execução do programa que está sendo elaborado”. No entanto, sempre se teve notícia da existência de núcleos de ex-alunos do então IEI, que se reuniam sistematicamente nas principais capitais e grandes centros do país, o que nos foi confirmado pelo testemunho de dois antigos ex-alunos: José Aflalo Filho - da turma de 1931, que liderava ex-alunos em São Paulo, e José Dias Coelho Junior - da turma de 1932, no Rio de Janeiro. Estes valorosos ex-alunos e tantos outros, prestavam inteiro apoio e se faziam presentes em todas as atividades promovidas pelo Instituto e pelo Diretório Acadêmico, mantendo estreito relacionamento com professores e alunos da instituição, exercendo importante papel em tudo que lhes dizia respeito, como por exemplo, na luta pela sua federalização, ocorrida em 1956. No final da década de 50, estes mesmos ex-alunos lideraram um movimento com o objetivo de se criar uma Fundação de apoio ao IEI, aos seus alunos e ex-alunos, principalmente de apoio financeiro para viagens de estudos, inclusive no exterior. Para isso, promoveram reuniões em São Paulo, Rio de Janeiro, Santos e Volta Redonda, culminando com uma concorrida Assembléia Geral realizada nas dependências do Clube de Engenharia do Rio de Janeiro, onde se discutiu e foi aprovado o Estatuto da Fundação Theodomiro Santiago - FTS, cuja criação se oficializou em cerimônia realizada em Itajubá, no dia 23 de novembro de 1960, data em que o IEI comemorava 47 anos de sua fundação. Em 1968, o Instituto Eletrotécnico de Itajubá – IEI, que até 1936 se chamava Instituto Eletrotécnico e Mecânico de Itajubá – IEMI, passou a se chamar Escola Federal de Engenharia de Itajubá – EFEI. As atividades da Fundação Theodomiro Santiago prosseguiam com grande envolvimento dos ex-alunos, a ponto de muitas vezes ser confundida, Fundação e Associação de ex-alunos, como sendo uma só instituição. Até que, em Assembléia Geral da FTS realizada no dia 20 de novembro de 1978, foi oficialmente criada a Associação dos Diplomados da Escola Federal de Engenharia de Itajubá – ADEFEI, vinculada à Fundação, porém regida por Estatuto próprio, nos moldes do que está em vigor até os dias atuais. Naquela oportunidade, tomou posse como Presidente da Associação o ex-aluno Aloysio Faria de Carvalho - da turma de 1959, que durante sua gestão se dedicou à criação de Regionais nos locais em que já havia maior concentração de ex-alunos. Foram assim constituídas as 17 Regionais hoje existentes: Baixada Santista, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Itajubá, Manaus, Mogi das Cruzes, Poços de Caldas, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Vale do Paraíba, Vitória e Volta Redonda, ligadas à ADEFEI Nacional, esta com sede em Itajubá. Na década de 90 funcionou, também, a Regional Japão, período em que havia muitos ex-alunos naquele país, atualmente desativada. Cumprindo seu tradicional papel, a Associação teve grande participação de bastidores e junto da direção da EFEI, para que esta se transformasse em Universidade especializada na área tecnológica, o que se concretizou em 2002, quando a instituição passou a se denominar Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI. A partir de então a Associação alterou sua sigla para AD-UNIFEI. Recentemente, recebemos das mãos do mais antigo ex-aluno, Dr. João Eduardo Moritz - da turma de 1929, com 99 anos de idade completados em 2007 -o documento que comprova ser a atual AD-UNIFEI a mais antiga Associação de Ex-alunos de Engenharia do País. Trata-se de sua carteira original de associado da Associação dos Engenheiros Diplomados pelo Instituto Eletrotechnico e Mecanico de Itajubá – AEDIEMI (sic), datada de 17 de dezembro de 1929, assinada pelo então Presidente José Rodrigues Seabra - da turma de 1917, que foi a primeira turma a se diplomar no Instituto. Portanto, o ano de 1929 passou a ser o mais antigo registro da nossa Associação. Como curiosidade, vale citar que este importante documento vem corrigir dados históricos que constam do livro “História da Engenharia no Brasil”, de autoria do Engo. e Historiador Pedro Carlos da Silva Telles, que concede o título de as mais antigas Associações de Ex-alunos de Engenharia do País: a A3P - Associação dos Antigos Alunos da Politécnica, fundada em 1932, que congrega antigos alunos da Escola Politécnica do Rio de Janeiro e de suas sucessoras (Escola Nacional de Engenharia e a atual Escola de Engenharia da UFRJ); e a A3EMOP - Associação dos Antigos Alunos da Escola de Minas de Ouro Preto, fundada em 1942. Atualmente, a AD-UNIFEI vem trabalhando em vários projetos, em parceria com a UNIFEI, a Fundação Theodomiro Santiago e o Diretório Acadêmico da UNIFEI, sendo os principais: Programa Garanta um Futuro - de ajuda aos alunos carentes da UNIFEI através de concessão de bolsas-trabalho custeadas por ex-alunos e professores da UNIFEI; Projeto Embaixadores da UNIFEI – de diplomação de ex-alunos que exercem a diplomacia da Universidade; e o Museu de Ciência e Tecnologia de Itajubá e Centro de Memória da UNIFEI, que deverão ser inaugurados no centenário da UNIFEI. A Associação tem representação no Conselho Universitário – CONSUNI, faz parte do Conselho Curador da Fundação Theodomiro Santiago - FTS, do Conselho Curador da Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão de Itajubá - FAPEPE e do Comitê de Instalação do Parque de Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais. Desde 1993 a Associação mantém um Convênio de Mútua Cooperação com o CREA-MG, segundo o qual se compromete a trabalhar para a valorização e a fiscalização do exercício profissional. A partir de 1978 a AD-UNIFEI teve como Presidentes: Gestão 1979/1984 - Aloysio Faria de Carvalho (turma de 59) - falecido em 13/04/92 Gestão 1984/1986 - José Aflalo Filho (turma de 31) - falecido em 21/02/98 Gestão 1986/1990 - Ricardo Pinto Pinheiro (turma de 69) Gestão 1990/1992 - Aloysio da Rocha Pizarro (turma de 64) Gestão 1992/1996 - Manoel E. de Miranda Negrisolli (turma de 74). Gestão 1996/1998 - Roberto Lamóglia de Carvalho (turma de 65) Gestão 1998/2000 - Aloysio da Rocha Pizarro (turma de 64) Gestão 2000/2002 - Rubens Pinto Pinheiro (turma Julho/75) Gestão 2002/2004 - Rubens Pinto Pinheiro (turma Julho/75) Gestão 2005/2006 – Marita Arêas de Souza Tavares (turma de 62) Gestão 2007/2008 - Roberto Lamóglia de Carvalho (turma de 1965) Essa é a história octogenária da Associação dos Diplomados da UNIFEI, que não começa nem termina aí. Novos dados do passado poderão surgir, enriquecendo cada vez mais sua memória, assim como muitas realizações construirão o seu futuro, pautado na célebre frase do fundador da UNIFEI, Theodomiro Santiago: “Revelemo-nos mais por atos do que por palavras, dignos de possuir este grande País.” Marita Arêas de Souza Tavares (Turma de 1962) Outubro/2006